Seja bem-vindo!
Meu Cadastro Meus Pedidos Minha Compra 0 itens
Home Conselhos Editoriais Notícias Lançamentos Fale Conosco
 
 << Voltar
As Dimensões da Formação Humana
Educação ou Violência - Tabus Acerca da Pena de Morte
Silvia Rosa da Silva Zanolla.
ISBN: 978-65-86089-14-1
Formato: 14 x 21 | Acabamento: Brochura
Páginas: 14 x 21 | Ano: 2021 | Edição: 1
Idioma: Português
Preço: R$ 34,30
Sinopse:

DE R$ 49,00  POR R$ 34,30

Contraditoriamente pelo viés do senso comum e até mesmo oficial, há o hábito social de se justificar o uso da violência para se combater a própria violência, como no caso da pena de morte. De acordo com a pesquisa apresentada nesta obra, ressalta-se que não cabe, a bem da educação, admitir a prevalência do instinto agressivo sobre as pulsões vitais na sociedade, sob pena de se perder de vista possibilidades de autopreservação da civilização em meio à barbárie. Por esses princípios, não existe melhor maneira de combater a violência e a ideologia do que aquela de não silenciar, seja pela atuação nas instituições, seja pela elaboração de pesquisas que objetivem barrar “o futuro grandioso da desumanidade” (Adorno 1995). Não por acaso, a teoria crítica frankfurtiana embasa essa pesquisa sobre a pena de morte por se entender que esta manifesta um fragmento da violência como elemento de alienação, deformação cultural e educacional para além da seara jurídica. O problema da pena capital reflete o fracasso social em lidar com a educação e a preservação da vida em todos os sentidos. Não obstante, Adorno (1995) insiste em chamar a atenção para a importância de produzir pesquisas e estudos que possam impedir o futuro da barbárie no âmbito de todas as áreas do conhecimento, sobretudo, pela Psicologia e pela Educação. Essa reação seria a melhor maneira de prevenir a violência e constituir resistência em prol da humanização irrestrita. Só conjuntamente, de modo amplo se poderia entender os fundamentos dos processos subjetivos que levam à frieza humana, ao caráter manipulador fascista, de pensamentos onipotentes, autoritários e preconceituosos; fanáticos, perversos e narcisistas, em meio à ordem vigente política, societária e cultural.

SOBRE A AUTORA:

Silvia Rosa da Silva Zanolla - Graduada em Psicologia e Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), mestre em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), doutora e pós-doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP). Possui projetos de extensão, pesquisas e publicações na perspectiva da Teoria Crítica da Escola de Frankfurt. É professora Titular atuando na graduação em Psicologia e na pós-graduação em Educação, da Universidade Federal de Goiás (UFG). É membro fundadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação, Violência, Infância, Diversidade e Arte (Nevida/FE/UFG).

Sobre os Autores:
Silvia Rosa da Silva Zanolla - Graduada em Psicologia e Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), mestre em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), doutora e pós-doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP).

Formas de Pagamento